Brava: Deslocação à ilha mereceu nota positiva dos visitantes e do poder local

  • 06/08/2019 03:40

A visita realizada à ilha Brava pelo ministro do Turismo e Transportes e ministro da Economia Marítima, José Gonçalves, e o chefe da cooperação da União Europeia mereceu “nota positiva” dos dois e do edil local.

O ministro José Gonçalves, e o chefe da cooperação da União Europeia (UE) em Cabo Verde, José Roman Leon Lora, terminaram hoje, uma visita de três dias à ilha Brava, e ambos fizeram um balanço “muito positivo” da mesma.

O ministro salientou que chegaram na ilha numa altura que lhes permitiu ver ‘in loco’ o decorrer de várias obras, iniciando logo com um encontro com a equipa camarária e os operadores turísticos.

Realçou que também visitaram muitas localidades, com obras “muito expressivas”, e que estão a melhorar a qualidade do turismo na ilha, considerando que foi de trabalho e de fim-de-semana, onde houve muito trabalho, mas também puderam desfrutar daquilo que de bom que a ilha oferece.

Falou da oportunidade que tiveram em subir ao ponto mais alto da ilha a pé, envoltos em nevoeiro, onde o coordenador viu as riquezas da Brava, em termos turísticos, a diversidade paisagística e o potencial de beleza que esta possui.

O ministro frisou que de tudo isso, o que querem é “melhorar” a oferta, mas, deixou claro que tem a consciência de que é necessário tomar várias medidas.

Das medidas, começou por falar de uma melhor organização dos operadores turísticos, a necessidade de um centro interpretativo para mostrar tudo o que é a tradição, história e a rica cultura da Brava, para criar este destino turístico na Brava, que possui um “enorme potencial”, para complementar as ilhas do sul.

Já o presidente da câmara municipal da Brava, Francisco Tavares, considerou que esta visita deu para mostrar ao coordenador da União Europeia a visão para o desenvolvimento da Brava, mais especificamente para o desenvolvimento turístico, e do alinhamento e da concertação que existe entre o Governo e o poder local e quantos desafios a serem vencidos para o desenvolvimento deste sector na ilha e com ganhos a todos os níveis.

Ainda, realçou que se discutiu as possibilidades de projectos e de possíveis candidaturas do poder local e de algumas ONG aos concursos e fundos da União Europeia, dentro deste âmbito turístico e no âmbito social.

Daí que, segundo o edil, tiveram a oportunidade de mostrar alguns pontos de interesse e da cooperação que tem vindo a ser feita através do Ministério do Turismo, o Governo e autarquia local, que já têm acções no terreno desenvolvidos.

Mas também, viram a oportunidade para que outros projectos a serem implementados façam o casamento ideal com o que já se fez, e a necessidade de em conjunto, trabalharem com novos parceiros para os financiamentos, e a implementação dos novos projectos que trarão também a criação de emprego e o desenvolvimento de todas as outras áreas transversais ao turismo, que no fundo, o objectivo é desenvolver a Brava.

MC/ZS

Inforpress/Fim