EUA: Reforma tributária de Trump com diminuição de impostos é aprovada pelo Senado americano

  • 05/12/2017 21:00

A reforma tributária defendida pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi aprovada pelo Senado americano na madrugada deste sábado (2). A proposta coloca o líder da Casa Branca e os republicanos ainda mais próximos do plano de reduzir impostos para as empresas e a classe mais alta da sociedade, proporcionando à população diversas mudanças tributárias.

A votação foi apertada. Com 51 votos a favor contra 49 escolhas que se opunham à reforma tributária de Trump , a disputa foi dividida entre os senadores republicanos e democratas. O senador Bob Corker foi o único republicano que se opôs à proposta e votou contra seus companheiros de partido.

O debate foi iniciado às 1h36 locais (5h36 de Cabo Verde) e durou cerca de dez horas. Para os líderes democratas, a medida, apesar significar o maior corte de impostos dos últimos 30 anos, vai aumentar o déficit fiscal dos Estados Unidos em US$ 1,5 trilhão em uma década.

Essa foi a primeira vez que Trump se viu “vitorioso” no Legislativo americano, depois de ter sido muito criticado ao tentar modificar a lei de saúde, conhecida popularmente como “Obamacare”.

A partir de agora, os líderes republicanos do Senado irão conciliar o texto aprovado com seus colegas da Câmara dos Representantes, que já haviam aprovado uma versão própria do projeto com alguns pontos distintos, antes que o presidente sancione a reforma.

O novo texto, que unirá as ideias das duas casas do legislativo, deverá passar por nova votação para que assim seja enviado a Trump e vire lei.

A ideia do presidente americano é que isso aconteça antes do ano de 2017 terminar, para que essa conquista seja considerada a primeira grande vitória legislativa do ano.

Proposta

Para o mandante da Casa Branca, o aumento do déficit fiscal é uma consequência fundamental para revitalizar a atividade econômica americana e colocar o crescimento anual da nação em um ritmo maior do que 3%.

Para isso, os impostos cobrados das empresas deverá cair de 35% para 20%. A ideia do Senado é que a regra comece a valer a partir de 2019, porém, a Câmara dos Representantes quer que a aplicação dos cortes seja imediata. Fonte: iG